quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

[TIRA-DÚVIDA] “A professora me disse que a minha filha não está lendo rápido o suficiente. O que deve ser? O que posso fazer para ajudar?” 



Como mãe pode ser muito preocupante se sua filha “luta” para ler cada palavra que aparece no texto. Pode ser que pronuncie lentamente cada um dos sons que forme cada palavra escrita na página ou ter dificuldades para “lembrar” os sons de certas letras. Pode ser que sempre tente adivinhar ao encontrar com uma palavra difícil... Estes comportamentos são comuns quando se está aprendendo a ler.

No entanto, se sua filha parece frustrada ou não melhora com o tempo, você pode ter um problema que é conhecido como dificuldades com a fluência na leitura. Esse é o termo usado para conceituar a capacidade de ler com rapidez e precisão. Este termo também inclui a “emoção” expressa quando se lê em voz alta. Um leitor fluente usará por exemplo um tom “dramático” quando lê a palavra “ATENÇÃO!!!”.

A fluência de leitura acontece de uma forma mais tranquila e mais fácil para algumas crianças do que para outras. As dificuldades com a fluência as vezes estão relacionadas com a dificuldade de consciência fonológica que representa a capacidade de identificar e utilizar cada um dos sons em palavras.

Por exemplo, muitas crianças no jardim de infância já identificam que as palavras "cama" e "casa" começam com o mesmo som apenas por ouvir. As crianças dessa idade, muitas vezes podem ouvir os sons das letras "c", "a", "s" e "a" na palavra "casa".

A consciência fonológica é essencial para os leitores de começo como eles devem aprender a associar sons específicos com letras escritas e, em seguida, misturar esses sons para ler palavras. Este processo de reconhecer e pronunciar cada um dos sons que compõem uma palavra é chamado de decodificação.

Descodificar palavras é uma habilidade importante para os leitores iniciantes. No entanto, para ler fluentemente as crianças devem ser capazes de reconhecer cada palavra em um instante sem ter que soletrar foneticamente, ou seja, sem ter que decodificá-los. Os professores chamam essas palavras de “familiares”.

Passar de “soletrar” palavras foneticamente a reconhecer “à primeira vista” requer prática. Uma das melhores maneiras para que as crianças melhorem a leitura é dar lhes livros de acordo com sua idade e fluência. As crianças que têm dificuldade de decodificação são muitas vezes relutantes para ler. E quanto menos se lê mais lhes custarão reconhecer as palavras a primeira vista.

Uma das melhores coisas que pode se fazer como mãe é estimular a leitura buscando maneiras que sejam divertidas. Escolha livros que sejam do nível da sua filha e que os personagens e temas sejam de seu interesse. É ótimo se ela gosta de ler o mesmo livro várias vezes! Leiam juntas em voz alta! Também é aconselhável ler um conto todos os dias na mesma hora. Compartilhar tempo juntas pode ajudar a sua filha a desenvolver uma “paixão” pelas histórias, sendo esta a melhor maneira de motiva-la que aprenda a ler.

Ler juntas todos os dias também te dará a oportunidade de lhe ensinar novas palavras. Recorde que para sua filha é mais fácil ler uma palavra se ela sabe o que significa. Expor a novos livros e novas palavras que estão no seu nível de leitura a ajudará a desenvolver seu vocabulário. E ao conhecer mais palavras a ajudará a ler com mais fluidez.

Ao ler juntas recorde que as crianças as vezes vem os primeiros sons de uma palavra e supõem o resto. Esta forma de adivinhar é comum em alguns leitores principiantes. Seja paciente e a encoraje a ler toda a palavra no lugar de adivinha-la.

As vezes as crianças que tem dificuldade para lerem sozinhas necessitam um pouco mais de ajuda nas aulas ou de praticar mais em casa. Nem todas as crianças aprendem a ler na mesma velocidade e da mesma maneira. Entretanto, se sua filha não avança apesar da ajuda, pode estar evidenciando sinais de dislexia ou outro tipo de dificuldade de aprendizagem.

A dislexia é causada por diferenças na forma como o cérebro processa a linguagem. Tende a se manifestar na mesma família. Vale a pena destacar que as crianças com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) são mais propensas a terem dislexia que as crianças que não tem. O TDAH pode dificultar que as crianças se concentrem no que estão lendo.

Também é aconselhável ler sobre as dificuldades de processamento visual e o distúrbio do processamento auditivo. Processar se refere a como o cérebro dá sentido à informação que recebe. A fluidez da leitura depende de uma habilidade dos centros cerebrais da visão para dar lhe sentido ao que os olhos veem. Isto se chama processamento visual.

Ler também implica que as áreas cerebrais para a audição deem sentido aos sons das palavras. Isso é o processamento auditivo. Quando o cérebro necessita de tempo adicional para processar a informação, a velocidade e a precisão em ler pode diminuir.

Se você suspeita que sua filha tem uma dificuldade de aprendizagem ou de atenção, não duvide em comentar com a professora e com o pediatra. Eles podem ajudar a determinar se é necessária realizar uma avaliação formal com fonoaudiólogo, psicólogo e/ou psicopedagogo. Trabalhar conjuntamente com a escola da sua filha pode facilitar que ela obtenha a ajuda necessária para seguir em frente.


terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

#Gratidão

Após ter disponibilizado de forma gratuita o exercício “A arca de ninguém” para download...

Após ter recebido centenas de e-mails com solicitações, comentários, dúvidas e sugestões...

E ter “perdido as contas” de quantos e-mails eu respondi nos últimos 10 dias...

E ter mais de 3000 mil acessos na página do exercício “A arca de ninguém” ...

É hora de fazer um “balanço geral” disso tudo!

Sabe, quando paro e penso em tudo isso que aconteceu, realmente sinto uma emoção por ver como é fantástica a busca de conhecimento, atualização e aprimoramento por parte do Fonoaudiólogo.

E é maravilhoso para mim fazer parte disso!

Agora é hora de concentração e foco, pois esta semana ainda tem conteúdo incrível na quinta!

Obrigada!



quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Um ano da minha defesa de doutorado!

Da esquerda para a direita: Nilton Rezende (UFMG); Pollyanna Batista; Carla Menezes (PUC Minas); Daniela Gil (USP); Denise Utsch (UFMG); Rogério Beato (UFMG)

Nossa! Como passou rápido! Hoje faz um ano da minha defesa de doutorado. E eu tenho muito a agradecer desde este dia! Muitas portas se abriram, novos caminhos se iniciaram, e o carinho com as Neurofibromatoses foi mantido. 

#gratidão


Se você quiser ler e ter acesso a minha tese sobre Treinamento Auditivo na Neurofibromatose Tipo 1 acesse o link: 


Vale a pena a leitura, pois lá tem toda a metodologia utilizada para o treinamento auditivo, os estímulos utilizados, e os resultados positivos encontrados!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

[Dicas e estratégias para os pais] Como introduzir a escrita na rotina da criança?


Manter aquela criança interessada em escrever nem sempre é fácil... 

Aqui estão algumas estratégias e dicas que não se concentram em apenas “sentar e escrever”! Então vamos lá?


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Temas da semana


Semana passada foi incrível! O número de fonoaudiólogos que baixaram o exercício “A arca de ninguém” ultrapassou as minhas expectativas! Comentarei ao longo da semana mais sobre isso!

Para essa semana, veja o que virá:

Terça-feira (14/02): Dicas e estratégias para crianças e adolescentes que relutam em escrever.

Quinta-feira (16/02): Treinamento auditivo acusticamente controlado na Neurofibromatose Tipo 1 (Defesa doutorado)


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

[Exercício download gratuito] – A arca de ninguém



Olá!

Fico muito feliz em compartilhar com você Fonoaudiólogo este exercício que organizei com muito carinho e dedicação. Acredito que “compartilhar conhecimento é vida!” e quando se compartilha algo que se gosta muito, outras pessoas serão beneficiadas com ele (você, seus pacientes...).

O exercício “A arca de ninguém” mescla atividades de atenção, figura-fundo, escuta direcionada, memória auditiva, evocação e diversas outras tarefas de linguagem. Ainda dá para você “ousar” e “criar” outras atividades!

Fonoaudiólogos cadastrados no blog receberão automaticamente um e-mail para baixar as atividades de forma gratuita.

Se você deseja receber esta atividade e ainda não é cadastrado no blog faça o seguinte:

1)    Acesse o blog http://pollyannabatistafonoaudiologa.blogspot.com.br/ e cadastre seu e-mail (siga as orientações para que o cadastro seja efetivado).

2)    Envie um e-mail para pollyannabatista@hotmail.com com o seu nome completo e número de registro no conselho de Fonoaudiologia com o referido assunto: “Exercício A Arca de Ninguém”.

Pronto! Um e-mail com o exercício será direcionado para a sua caixa de entrada!

Este material somente será disponibilizado para Fonoaudiólogos em respeito ao código de ética da Fonoaudiologia (Seção II – Redes Sociais, art. 40, parte VI), ok?

Espero que este material seja útil!


Positiva terapia!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

[QUIZ] – Teste o seu conhecimento sobre o distúrbio do processamento auditivo.

Que tal testar os seus conhecimentos sobre o Distúrbio do Processamento Auditivo?


Então pegue papel e caneta, anote suas respostas e ao final clique no link abaixo e confira o gabarito! 



Confira suas respostas neste link:  Clique aqui


Gostou? Compartilhe!

Até o próximo QUIZ!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Temas da semana



Esta semana está imperdível!

Confira abaixo o que será discutido e disponibilizado no blog:

Terça-feira (07/02): [QUIZ] – Teste o seu conhecimento sobre o distúrbio do processamento auditivo.

Quinta-feira (09/02): Exercício para download gratuito.

Se você ainda não é cadastrado no blog, CADASTRE-SE! É fácil, rápido, seguro e você receberá as atualizações automaticamente no seu e-mail!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Neurofibromatoses: Sites confiáveis que você pode buscar informações


O uso da internet facilita muito a vida de todos nós, não é mesmo? Conseguimos em poucos segundos resolver ou buscar sobre determinado assunto realizando apenas alguns cliques. Mas no “meio desta facilidade toda” também “mora” o perigo.

Sabemos que o “Dr. Google” traz tudo que você digitar na barra de busca sem nenhum filtro do que é verdadeiro ou falso. Posso lhe dar um exemplo que aconteceu comigo em 2008 quando fui fazer a entrevista de seleção para entrar no Centro de Referências em Neurofibromatoses do HC – UFMG. Eu não sabia nada sobre as NFs, então entrei no “Dr. Google” e digitei “Neurofibromatoses”, “NF1”, “NF2”, “Neurofibromatosis” e assustei! “Cai para trás" e comecei a me questionar qual seria a atuação da Fonoaudiologia naquela doença tão devastadora como mostrava na internet.

No final passei na seleção e comecei a acompanhar o Ambulatório de Atendimentos dos Pacientes com NFs e MINHA PERCEPÇÃO DA DOENÇA MUDOU e vi que grande parte das informações que tinha visto na internet eram falsas.

Então hoje escrevo este post para indicar alguns sites confiáveis que vale a pena você conhecer quando precisar de algumas informações sobre a NF. Mas já adianto! Uma consulta com um especialista NUNCA DEVE SER SUBSTITUIDA POR UMA INFORMAÇÃO VISTA EM UM SITE, OK?


Sites internacionais:

Children’s Tumor Foundation - http://www.ctf.org/
Neste site você encontrará pesquisas, informações sobre eventos como a “NF Conference” e a “NF Forum”, cartilhas, depoimentos e informações úteis sobre a NF.

AANF (Asociación Argentina de Neurofibromatosis) - http://www.aanf.org.ar/
Dispõe de informações sobre a doença, cartilhas para download gratuito e informações sobre eventos.

ANFM (Asociación Neurofibromatosis México) - http://anfm.org.mx/
Dispõe de informações sobre a doença e uma biblioteca para consulta.

APNF (Associação Portuguesa de Neurofibromatose) - http://www.apnf.eu/
Site rico que conta sobre a associação e dispõe de notícias relacionadas as neurofibromatoses.

Sites nacionais:

Neurofibromatoses: Dr Lor semanalmente - http://lormedico.blogspot.com.br/
Neste blog você encontrará informações escritas pelo Dr. Luiz Oswaldo Carneiro Rodrigures (LOR) que é médico no Centro de Referência em Neurofibromatoses do HC – UFMG. Lá você encontrará artigos, leis, tratamentos, pesquisas em andamento, informações sobre as associações de apoio as pessoas com NF e a cartilha “As Manchinhas de Mariana” para download gratuito.

AMANF (Associação Mineira de Apoio a Pessoas com Neurofibromatoses) - http://www.amanf.org.br/
Neste site você conhecerá um pouco mais sobre a AMANF, seu histórico e como participar das reuniões mensais. No site da AMANF há depoimentos de outras pessoas com neurofibromatose e está disponível uma biblioteca para consulta.

Pollyanna Barros Batista (Fonoaudióloga) http://pollyannabatistafonoaudiologa.blogspot.com.br/
Este blog é escrito pela fonoaudióloga Pollyanna Batista que desenvolve pesquisas relacionadas as neurofibromatoses desde 2008. Lá você encontrará informações relacionadas a aprendizagem, fala, linguagem, audição em pacientes com neurofibromatose.




Seguidores