quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Treinamento auditivo em crianças com perda auditiva 


     A perda auditiva unilateral pode ser um indicador de risco para alterações no processamento auditivo como um todo, especialmente nas habilidades auditivas de localização sonora, figura-fundo e resolução temporal.

     Até meados dos anos 70, a maioria dos profissionais de otorrinolaringologia e fonoaudiologia acreditava que a perda auditiva unilateral em crianças não pudesse afetar de forma significativa seu desenvolvimento da linguagem oral e escrita. No entanto, a partir da década de 80 muitos estudos começaram a sugerir que esse tipo de perda auditiva poderia trazer importantes prejuízos ao desenvolvimento acadêmico desses indivíduos. A partir daí, aumentou o interesse dos profissionais da área em investigar os possíveis riscos que a perda auditiva unilateral acarreta para crianças e adolescentes.

     Crianças com perda auditiva unilateral podem apresentar dificuldades de fala, linguagem e problemas educacionais. Essas dificuldades podem estar relacionadas às desvantagens que essas crianças experimentam pela falta da audição binaural. Esta proporciona: somação binaural, localização sonora, efeito de sombra da cabeça e liberação do mascaramento. Uma das vantagens mais importantes da audição binaural é favorecer a figura-fundo. O efeito imediato deste fenômeno é melhorar o reconhecimento de fala na presença de ruído ambiental, situação que é particularmente difícil para quem apresenta perda auditiva unilateral. Assim, muitos estudos têm mostrado que o fato da perda auditiva unilateral afetar o processamento da audição binaural, pode aumentar as dificuldades em compreender fala no ruído e causar dificuldades na comunicação como um todo.

     Portanto, é sempre necessário, após a adaptação do aparelho auditivo, que a criança passe por um acompanhamento multidisciplinar, e dentre eles o fonoaudiólogo esteja inserido para a estimulação das habilidades auditivas alteradas (treinamento auditivo) e estimulação de linguagem.

     Na terapia com foco na estimulação das habilidades auditivas o fonoaudiólogo poderá desenvolver tarefas de atenção, memorização, discriminação, sequenciamento, fechamento e resolução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores